quinta-feira, 23 de junho de 2011

Série Saúde Cristã: TSEDAKÁ (Justiça)




Quando fizeres a sega da tua terra, não segarás totalmente os cantos do teu campo, nem colherás as espigas caídas da tua sega; para o pobre e para o estrangeiro as deixarás. Eu sou o Senhor vosso Deus. (Lev 23:22)

Nestes últimos dias celebramos a Festa da colheita e nos lembramos que uma estrangeira Rute, pôde colher nos campos da terra de Judá, porque Deus ama todas as pessoas que Ele criou à sua Imagem e conforme a Sua Semelhança, e Ele abençoa seus filhos, para que estes se responsabilizem por cuidar dos que possam estar passando necessidades. Todos podem ajudar! Pouco ou muito é necessário que nos responsabilizemos pelas pessoas que realmente num difícil momento de suas vidas possam estar impossibilitados de ter suas necessidades básicas supridas.
Isso é Justiça. A Palavra usada em hebraico para isso é Tsedaká. Infelizmente até na tradução que temos do Novo Testamento a palavra usada para Tsedaká é “esmola”. Porém “esmola” não consegue nem de longe expressar o que Deus espera dos seus filhos em relação a seus irmãos que estão passando por um momento difícil.




Olha o que Jesus fala sobre Tsedaká, e como é diferente quando comparamos com as expressões “esmola” e “Justiça”.

Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita; para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. (Mat 6:2-4)

Quando, pois, fizeres Justiça (Tsedaká), não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas, quando tu fizeres Justiça (Tsedaká), não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita; para que a tua Justiça (Tsedaká) fique em secreto; E teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. (Mat. 6: 2 – 4 / Versão Paulo de Tarso).

Quando nos deparamos com esta verdade, que Deus nos tem dado da sua riqueza para que tenhamos para nossa família, para sustentar a Casa de Deus e para cuidar dos necessitados, podemos pensar... Mas, será que dá pra tudo isso? A primeira coisa que precisamos é crer que estamos falando do Sobrenatural e nossa fonte é O Criador de tudo o que existe, e em segundo lugar, temos que lembrar que Deus deu a nós este mundo natural, e requer que nós dominemos sobre ele, ou seja, precisamos organizar as coisas a partir da nossa própria vida, porque haverá o suficiente e ainda sobejará para todo o propósito firmado pelo Nosso Deus em nossas vidas. vejam isso:

E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra; conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça. (2Co 9:8-10)

Ora a abundância, a plena suficiência, toda a provisão necessária (pão para quem come), semente pra quem semeia (ofertas e dízimos), e a Justiça (Tsedaká), são dadas a nós por Deus quando fazemos a Sua Vontade.
Só há frutos de Justiça pra quem planta Justiça;
Só há multiplicação na Sementeira pra quem planta as sementes que Deus lhe tem dado;

Não tema, O Pão da Vida já te foi dado. Jesus
O pão para suprir TODAS AS TUAS NECESSIDADES, te será dado juntamente com Cristo. Confie Nele. Demonstre esta confiança. Obedeça. Prove este Amor, experimente depender de Deus. A Justiça de Deus será feita na tua vida!

A Bíblia conta que a primeira pessoa que não era do povo judeu, que foi cheio do Espírito Santo (O Centurião Romano Cornélio), orava a Deus e fazia Tsedaká (em português está escrito como “dava esmolas”). Ele que não era do povo de Deus, talvez não soubesse orar como os judeus faziam, mas, com sinceridade falava com Deus que queria conhecê-lo, e além disso, ele fazia algo que move o coração de Deus. Ele se importava com os necessitados. A Bíblia diz que um Memorial foi levantado diante de Deus, pelas orações e pelas Justiças que este homem fazia.
O exemplo mais lindo que vejo na Palavra sobre Tsedaká é do homem aleijado que estava na Porta Formosa em Jerusalém. Neste lugar estavam passando os apóstolos Pedro e João e aquele homem pediu: Façam Justiça pra mim, por favor. Não! Ele não pediu esmola, ele pediu que cumprissem a Palavra de Deus para com a vida dele.
Pedro e João não tinham dinheiro naquele dia, e é importante que todos nós entendamos que Justiça não se faz com dinheiro, mas, com amor, fé, e com o sobrenatural de Deus. Eles disseram: “O que temos isso te damos! Em Nome de Jesus, O Nazareno, levanta e anda!”
Eles não apenas supriram uma necessidade momentânea, mas, deram a chance daquele homem, poder trabalhar e ganhar o seu próprio sustento sem depender de donativos humanos. É isso! A nossa Tsedaká, não pode e nem deve ser um assistencialismo. Temos que ajudar as pessoas a serem livres e romperem com o momento difícil que estão passando, podendo então não apenas cuidar das suas vidas e famílias, mas, tornarem-se ENSINADORES DE JUSTIÇA.
Na minha maneira de ver O Evangelho do Reino de Deus, um milagre tão grande quanto aquele homem viveu, andando pela primeira vez na vida, ocorreu no dia seguinte em que ele pôde procurar um emprego para obter seu sustento e para cuidar de sua família, para abençoar a Casa de Deus e para fazer Justiça, já que durante tanto tempo ele viveu da Justiça de Deus, praticada pelos filhos do Deus Vivo.




Que O Nosso Deus aumente os frutos da vossa Justiça!
Para isso, plante Justiça.








Paulo de Tarso, apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

3 comentários:

  1. Muito legal, muito bonito um cristão se lembrar que existe o Tsedaká. Porém, eu gostaria de lhe informar que o verdadeiro e completo Tsedaká está em Deuteronômio 15 (Do primeiro ao último versículo), onde D'us disse que deve-se dar ao irmão e ao próximo o quanto baste para sua necessidade, e não apenas para a necessidade básica como é feito em 100% das igrejas. No Judaísmo e na Maçonaria, condenadas covardemente pelas igrejas cristãs, a ajuda é completa, ajudam a pessoa a "caminhar com as próprias pernas", consegue-se um bom emprego e ainda paga-se uma faculdade para que o cidadão melhore de vida, até que ele mesmo possa pagar.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Fora outros favores essenciais para ajudar uma pessoa a se estabilizar, como alugar-se uma moradia por um valor simbólico que caiba no orçamento, até que a pessoa se estabilizar e possa pagar o valor de Mercado, dentre outros favores. Maçonaria e Judaísmo tem uma união e uma solidariedade muito maior do que qualquer igreja cristã, ou do que qualquer religião. Isso sem mencionar a caridade que eles fazem para pessoas que estão de fora do círculo deles.

    ResponderExcluir